Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008


O gesto de Fidel ajudaria Obama

O que está rolando de tolices na mídia – especialmente no PIG – sobre a renúncia de Fidel não está no mapa. Mas o jornalista Jon Lee Anderson, o melhor biógrafo de Che Guevara, tem uma avaliação interessante, que sobressai nesse mar de chutadores: a transição em Cuba será “lenta e orquestrada” e a figura lendária do Comandante irá “pairar no ar” ainda por mais uma geração, no mínimo. Anderson considera que Fidel avaliou como propício esse momento, e que o grande beneficiário seria Barack Obama, que a partir de agora tem “uma boa chance de ser o próximo presidente”.

Neste sentido, cabe indagar se Fidel já não esteja retirando-se estrategicamente para facilitar futuras negociações que envolvam o fim do bloqueio econômico à ilha, mas sem quebrar os princípios do processo revolucionário que deverá passar sim por alterações de rota e admissão de novos interlocutores externos e, sobretudo, internos (com estudantes e sindicatos).


11 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Interessante o ponto de vista de Anderson. Belas notícias. Obama na presidência dos EUA e uma abertura econômica e política em Cuba. Quem diria, Fidel entrando no furacão Obama. Não existe outro caminho, ou Cuba se abre gradualmente ou se mantém fechada na eterna pobreza, mas sem miséria. Cuba pode muito bem manter o sistema de educação e saúde e fazer gradual abertura econômica e permitir que seus cidadãos (e não apenas os estrangeiros) possam abrir empresas. E com Obama na Casa Branca pode haver sim a revogação dos embargos. Seria ótimo para todos uma aproximação EUA e Cuba.

Anônimo disse...

Cuba significa a antítese dos governos terroristas de Washington. Fez uma revolução. Melhorou a vida de seu povo. Enfrentou o gigante distante algumas milhas. Manteve a honra. Portanto, noves fora, não se trata apenas de Fidel, ou Raul, ou outro dirigente por mais revolucionário que seja, mas se trata da dignidade e honra de um povo, que a revolução trouxe.

E mais: tudo isso foi conquistado com o monstruoso bloqueio econômico, melhor dizer o terrorismo praticado pela "Casa Branca". Cuba precisa de negócios e investimentos, mas não voltando a ser prostíbulo dos EUA, como antes de 1959.

armando

Anônimo disse...

Armando, que idade tu tens?

Anônimo disse...

Como é que é Maia? ou Cuba se abre...?
E o Bloqueio criminoso do teu Tio Sam?
Não sei se é só canalhice ou se é idiotisse também.

Claudio Dode

Marcelo Dezonne disse...

Enviado por: Marcelo Dezonne (Porto Alegre/RS)Comentar | Fechar [ x ] Será mesmo que a maioria dos brasileiros, inclusive aqueles que (com razão) criticam a parcialidade da imprensa tem condições de realmente avaliar o que se passa e o que se passou em Cuba nos últimos anos? Certo ou errado, o sistema econômico cubano (socialista) propõe que os meios de produção, inclusive os de comunicação, como jornais, tvs e revistas, sejam coletivos, portanto sem capitalistas. Logo, por que um dono de jornal permitiria, como regra, que de suas redações se falasse bem de um sistema que busca acabar com a sua própria condição de proprietário e parte de uma elite econômica?!

Outra questão: Por que os EUA, que não dão a mínima para a opinião pública mundial (vide o Iraque) ainda não invadiram Cuba? Será que o povo apoiaria ou resistiria à invasão, defendendo a Revolução?

De qualquer forma, Cuba seria uma ditadura sui-generis, que promove a educação e o turismo, portas para a abertura de qualquer sistema...

Anônimo disse...

Bingo, Marcelo.

Para direitona predadora e insensível (que pleonasmo!):

"Penso como o Niemeyer, que é preciso ser conseqüente até o final"

armando

Carlos Eduardo da Maia disse...

O atraso econômico de Cuba está justamente vinculado ao fato de que o Estado detém o monopólio de tudo e de todos. Somente os estrangeiros, como a rede Sol Meliá, podem ser empresários em Cuba. O cubano não tem direito a livre iniciativa e não pode circular nos hoteis de turismo, além do mais não pode ter conexão de internet de suas residências. E o que mais é incrível é que tem gente que defende esse sistema que nunca deu certo. Não existe outra alternativa a Cuba senão a abertura econômica e política e não vai ter mais Fidel para segurar a onda da revolução.Por isso Cuba vai fazer sim uma mudança gradual em direção ao mercado e a liberdade.

Anônimo disse...

Os cubanos dispensam advogados oriundos do neoliberalismo, sejam tupiniquins ou não. Pergunte em Cuba, evidentemente, não aos canalhas de Miami, terroristas e predadores.

armando

Guga Türck disse...

Cristóvão!
Olha só... Estive pela ilha no final de janeiro.
O que se percebe é que a abertura já está ocorrendo - principalmente com o turismo, mas, também, pelas mãos de um grupo de países liderados por Venezuela (ALBA), Brasil e China.
São dois caminhos que estão se colocando na frente do cubanos e - pelo que entendo - são antagônicos.
Um é o do turismo, que está destruindo a ilha e as relações sociais. Nitidamente há um lento retrocesso em direção à era pré-revolucionária.
Por outro lado, há o início de uma evolução no regime com as trocas que vêm sendo efetuadas entre os países que citei. A China fechou acordo com Cuba e estão trocando - SEM CUSTO ALGUM - os refrigeradores jurássicos dos cubanos por modelos novos e que economizam em até 80% o gasto de energia das casas. É uma situação ganha-ganha, pois ganha a população, que passa a pagar menos na conta de luz, e ganha o Estado, que dá um respiro grande para a estrutura de produção energética...
Bom, vou aprofundar tudo isso lá no Alma da Geral assim que terminhar de editar as mais de 700 fotos que fiz e os mais de 50 vídeos. Tem material pra caramba e gostaria que, assim que colocasse à disposição, utilizasses isso no Diário Gauche, pois considero este blog - apesar de algumas moscas que o sobrevoam - uma referência e um fórum bem mais ampliado para tal discussão.

Grande abraço, amigo!

Cristóvão Feil disse...

Obrigado pela deferência, meu queridíssimo Guga! Quero saber tudo da tua viagem à ilha dos cubanos (que não é só de Fidel, como o PIG diz).
Abração!

CF

Carlos Eduardo da Maia disse...

Interessante o comentário do Guga e que mostra que Cuba tem apenas um caminho a percorrer: a integração econômica e política com outros povos. Isso não significa que Cuba vai virar um cassino. E nem deve virar. Cuba deve fazer que nem o Fogaça: preservar conquistas e realizar mudanças. Recomendo, também, a leitura do Blog generación y http://desdecuba.com/generaciony/
que é carregado em Cuba por pessoas que não fazem parte da mídia chapa branca do Granma.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo