Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

"... E o pior é perder para um time africano"


A frase - de uma espontaneidade elefantina - foi proferida hoje no final do jogo entre Internacional de Porto Alegre e o Mazembe, onde o clube guasca foi eliminado por dois gols a zero pelo clube africano.

Autoria da brutalidade: me perdoem mas desconheço o nome do sujeito, apenas sei que ele é locutor esportivo da rádio Gaúcha de Porto Alegre (grupo RBS). Se tivesse que identificá-lo em uma delegacia de polícia eu diria que o elemento é sósia (ou menecma, como vocês quiserem) do coronel russo, o aloprado garoto-propaganda da Net.

Et vive le tout puissant Mazembe!

21 comentários:

Gilmar da Rosa disse...

Acabei de ouvir novamente esta pérola na Rd gaucha. Pior, isso sai ao natural da boca destes bastardos. É incrivel.

Sander disse...

Ouvi tbém. O certo é a direção do Inter, campeão da América, lançar uma nota garantindo que não compartilha deste juízo impróprio e racista.

guima disse...

a pérola quer dizer "o pior é perder para um time de negrada".

e garanto que essa bisquinha racistóide não será nem chamado a atenção pela família Sirotski

Anônimo disse...

O divertido é a ironia: um time que era admirado por sua história multiracial, quando se torna mais "elitizado" ("tirando a negrada das arquibancadas", como ouvi um energúmeno dizer), vai lá e perde FEIO para um time africano. Bem feito.

zé bronquinha disse...

Um time em franca decadência mostrou um Inter sem goleiro, defesa média, meio campo sem articulador e ausência de centroavante matador. Resta a alegria de ver a RBS botar a viola no saco e não faturar tanto quanto queria.

Rogerio disse...

Estou aqui nos EUA e estava bem ansioso pela partida.Estou numa cidade em que ser branco eh a minoria. Quase todos saum negros. Saum os chefes das reparticoes e tem belos carros, etc. Acho isso a consequencia da democracia racial que impera aqui, apesar dos pesares. Bom, vi que a coisa naum ia dar certo quando ao chegar a torcida africana. Muito divertida e original. Naum negando suas tradicoes. Um torcedor colorado, branco, ficou a xingar acintosamente o guerreiro africano que fazia uma brincadeira dizendo que o Inter seria degolado. Vi,na leitura labial, claras expressoes de racismo no que ele dizia. Pena. Pena mesmo. O Inter eh o time do Saci, mas se elitizou. Virou time dos brancos elitistas. Perdemos para os africanos sim senhor e eles jogaram muito bem e com muita forca e dedicacao. Agora eh torcer para que a Inter de Milao tambem leve o seu. Fui

Tupamaro disse...

A turma da rbs é isso mesmo, nenhuma surpresa. O Inter confirmou a velha máxima do futebol, quem não faz leva. É dar muita chance para o azar, ainda mais com um goleiro fraco e um centroavante inútil.
Perdemos, aceitamos a derrota com dignidade, pior são os da beira do cemitério, cujos dirigentes invadem o gramado e incentivam seus jogadores a partir para agressão ao juiz e adversários, lavram a marca do penalti e impedem a cobrança da falta máxima. Pior ainda, editam DVD e se vangloriam de tal "façanha", como no hino riograndense...legítimos heróis de CTG.
Quanto ao racismo, todos nós sabemos qual é a torcida que chama a outra de macacos, macacada e outas coisas piores. Qualquer pesquisa confirmará que a maioria da população negra de Porto Alegre e do RS torce para o Internacional.

Anônimo disse...

Bem isso: "perder para um time de negrada". E o pior de tudo, é que o outro rival só aumenta esse preconceito ao brincar com a derrota. A mídia toda coloca combustível nisso. O mundo está mudando, onde os menos favorecidos, pelas oportunidades "oficiais", também estão se destacando. A "negrada" é o Brasil, que venceu o Brasil reacionário.

Anônimo disse...

A derrota mostra um outro lado : fica claro e cristalino que só o Inter aqui no sul do brasil e no país junto com o são paulo tem título mundial já que os outros nunca tiveram que jogar semifinais para decidirem uma final , portanto tem que ficar quietinhos já que o pior mesmo é nuca ter participado de uma verdadeira copa mundial de clubes. Aliás a américa do sul tem como o último campeão mundial o...INTERNACIONAL já que todos os outros que vieram desde 2006 falharam em sua tentativa de hegemonizar o planeta. o inter não é BI CAMPEÃO MUNDIAL? MAS QUEM É? EU NÃO CONHEÇO NENHUM TIME QUE O SEJA PORTANTO A TESE DO VEXAME ESCONDE O RACISMO EXPLICITO DE QUE A DEFENDE.

Anônimo disse...

FICA ROTH. . . VÃO TER DE ENGULIR A "ZEBRA" QUE DEU DE 2 A ZERO NOS PSEUDOS BI. . . OS QUE JÁ ERAM SEGUEM BI E OS QUE NÃO ERAM E AINDA SONHAM EM SER PODEM SAIR DO ARMÁRIO E SE TORNAREM BI. . .

ABU DABI. . . O RETORNO. . .

Anônimo disse...

Nem tanto ao mar, nem tanto a terra. A frase do comentarista rebessiano não me parece uma questão de racismo, mas sim de crença no estereótipo que a própria midia criou: os times africanos são ingênuos, não sabem marcar, jogam abertos, etc... Acreditar nessa baboseira já custou ao Brasil uma medalha olimpica e, hoje, a chance de disputar o bi mundial. É só mais um dos efeitos colaterais de acreditar na patacoada da midia dita esportiva. Não há nada de racismo nessa baboseira. É só ignorância mesmo.

Oscar T disse...

Resumo da ópera (digo, do jogo): quem não faz, leva.

Sem querer defender o cara, ele quis dizer que se perdesse na final p/ time europeu não seria tão ruim, pela tradição destes ultimos.

evandro disse...

""vai lá e perde FEIO para um time africano. Bem feito""'...detesto esses raciocínios românticos. O Inter errou em uma partida. De resto está certo. Ficar clamando romantismo e guerra racial nada tem a ver com o assunto. Compreendo também que o cara quis dizer o sentimento de todos, se fosse a poderosa Inter de Milão...acho mesmo que birebaixados surgem como analistas isentos para tirar uma casquinha da desgraça. Não sou a favor do "colorado branco" que xingou o torcedor africano. Mas vamos parar por aí. Os caras dão pau até na sombra. Não tem essa de futebol ingênuo ou alegre. Vergonha mesmo é ser birebaixado. O futebol cobra seu preço. No caso do Inter, dos gols perdidos na cara do goleiro, no primeiro ( e também segundo ) tempo. O Inter errou ao não provocar cartões no primeiro tempo ( dois marcadores principalmente o 4 estava amarelado e continuava a chegar junto). Existe grande diferença entre orçamento, estrutura, salários..mas essa obra ficcional que querem criar, do branco contra o negro ou do profissional contra o ingênuo e alegre futebol africano, simplesmente não existe.

Orson disse...

Concordo com o Oscar T, o Pedro Ernesto Denardim (vulgo Vovô, para os íntimos, em São Gabriel). O comentário do cara não teve um viés discriminatório. Ele somente fez referência à "tradição futebolística".

Anônimo disse...

Também não gosto do histriônico 'narrador' da empresa ali do Dilúvio. Porém não vi como racista aquela afirmação (pelo menos esta), pois penso, com evidente respeito aos demais, que a frase do referido ‘speaker’ esportivo tinha relação com ‘ranking’ (acho que dá pra usar esta expressão) do time africano (até aqui, sem grande relevo). E muita "calma, tigrada. Isso é só futebol. Não modifica a vida de ninguém”, não é mesmo?
Abraço.
Domingos.

Anônimo disse...

Denardin, o "inventor" da alma castelhana.Tô cansado desse racismo cotidiano em que gremistas chamam colorados de macacos. Ontem mesmo ouvi muitas vezes as expressões macacada fdp, e outas coisinhas.

Anônimo disse...

O imbecil em questão ganhou até um programete naquele canal bairrista q o P-RBS tem em POrto Alegre. Agora o melhor mesmo é ouvir o energúmeno 'comentando' o cenário político local. O comentário tem cunho racista SIM! Porque revela a visão daquele grupo de sexagenários que sem nada para dizer, são escalados para vomitar merda senso comum diariamente no rádio. O mais hilário é ouvi-los traterem-se por 'professor' e que tais...

Anônimo disse...

também vejo racismo e não só na RBS, mas em vários comentários. Os times africanos há muito não são ingênuos e um comentarista esportivo tem obrigação de saber disto.
Que interessa a tradição? O negócio é jogar bem e ganhar o jogo e eles fizeram isto.
Maria Lucia

marc disse...

Bom, sou gremista mas não comemorei a vitória do Mazembe pois o dono desse glorioso time é acusado de matar de 600 mil a um milhão de pessoas no Congo, pela atuação de sua companhia mineradora de coltão que vende para empresas como a Nokia. Enquanto a gente está teclando em computadores ou notebooks com esse material, pessoas estão morrendo no Congo tentando defender suas terras das agressões do dono do Mazembe, da companhia mineradora e governador de Katanga. Alô, despertem pra realidade!!!

leonardo-pe disse...

concordo com o anonimo(32:14).e digo mais:BEM FEITO!

Omar disse...

Feil, dá uma olhada nessa:
http://doomar.blogspot.com/2010/12/o-inter-de-milao-que-se-cuide.html#links

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo