Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Serra: abortando o futuro


República Fundamentalista Cristã

Fundada em 31 de outubro de 2010 após a expulsão dos infiéis do poder, a República Fundamentalista Cristã do Brasil apareceu em substituição à República Federativa do Brasil. Dela, ela herdou quase tudo, acrescentando uma importante novidade institucional: um poder moderador, pairando acima dos outros Três Poderes e composto pela ala conservadora do catolicismo em aliança com certos setores protestantes. Os mesmos setores que, nos EUA, deram suporte canino a George W. Bush. A função deste poder moderador consiste em vigiar o debate político e social, impedindo que pautas de modernização social já efetivadas em todos os países desenvolvidos cheguem ao Brasil.

Na verdade, a fundação desta nova República começou após uma eleição impulsionada pelo problema do aborto. Procurando uma tábua de salvação para uma candidatura que nunca decolara e que passou ao segundo turno exclusivamente por obra e graça de Marina Silva, José Serra resolveu inovar na política brasileira ao instrumentalizar politicamente os dogmas mais arcaicos deste que é o maior país católico do mundo.

Assim, sua mulher foi despachada pelos quatro cantos para alertar a população contra o fato de Dilma Rousseff apoiar "matar criancinhas" (conforme noticiou um jornal que declarou apoio explícito a seu marido). As portas de seu comitê de campanha foram abertas para os voluntários da TFP, com seus folhetos contra a "ameaça vermelha" capaz de perverter a família brasileira através da legalização da prostituição e do casamento gay (conforme noticiou o blog do jornalista Fernando Rodrigues). A internet foi invadida por mensagens "espontâneas" contra a infiel Dilma e o PNDH-3.

José Serra já havia dado a senha quando afirmou, em um debate, que legalizar o aborto seria uma "carnificina". Que 15% das mulheres brasileiras entre 18 e 39 anos tenham abortado em condições indescritíveis, isto não era "carnificina". Carnificina, para Serra, seria o Brasil importar esta prática tão presente na vida dos "bárbaros selvagens" que são os ingleses, franceses, alemães, norte-americanos, espanhóis, italianos, ou seja, todos para quem o aborto é, pasmem, uma questão de saúde pública e planejamento familiar.

Confrontada com esta guinada, a "classe média esclarecida" não se indignou. As clínicas privadas que fazem abortos ilegais continuariam funcionando. O direito sagrado de salvar a filha de classe média de uma gravidez indesejada continuaria intacto. Para tal classe, o discurso sobre "valores cristãos" era apenas uma radicalização eleitoral.

Quando o poder moderador, confiante em sua nova força, começou a exigir que o criacionismo fosse ensinado nas escolas, que o Estado subvencionasse atividades de proselitismo religioso travestidas de filantropia, já era tarde. Então, alguns lembraram, com tristeza, dos pais fundadores da República Federativa do Brasil, decididos a criar uma república laica onde os dogmas religiosos não seriam balizas da vida social. Uma república onde seria possível dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Uma República que morreu no dia 31 de outubro de 2010.

Artigo de Vladimir Safatle, professor no departamento de filosofia da USP. Publicado na Folha, dia 11 de outubro de 2010.


Acima, propaganda de fetiches religiosos vendidos pela TFP para os fiéis, no caso uma réplica do coração ensanguentado e dilacerado de Cristo. O comércio de amuletos é fonte de renda para a organização católica fundamentalista, TFP - Tradição, Família e Propriedade. A figura idealizada de Cristo, por sua vez, é apresentada como a do biotipo étnico anglo-saxão, e não a do homem da antiga Palestina, de aparência física completamente distinta.  

4 comentários:

Matheus M.H. disse...

http://colunistas.ig.com.br/poderonline/files/2010/10/Santinho-do-Serra1.jpg
(folder tucano distribuído no Leblon)

ó, serra já está inclusive panfleteando como tal.

Anônimo disse...

olha, se esse povo embarcar nessa, é pq. merece mesmo um governo demo-tucanalha, aqueles que detestam pobre e cujo lema é: para os ricos, tudo, para pobre e preto a sarjeta ou coisa pior.

Francisco disse...

Espero que após as eleições se faça algo para controlar melhor os ímpetos dessa IMPRENSA CORRUPTA,principalmente a paulista, que mostrou suas garras como nunca antes havia feito de forma tão cruel contra uma MULHER.Condenam a justiça do Irã contra o apedrejamento,mas a maneira como vem agindo,criando factóides contra a DILMA não deixa de ser um tipo de apedrejamento.A imprensalona e seus jornalistas amestrados tem se comportado em suas manchetes e editoriais tendenciosos de maneira a influir na consciência do povo brasileiro em prol do distribuidor do BOLSA IMPRENSA.

Antonio Oswaldo Cruz disse...

Jesus é metaleiro! Saca só a mãozinha dele apontado para o amuleto. Dá-lhe Iésus!

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo