Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

terça-feira, 5 de outubro de 2010

É preciso republicanizar o Theatro São Pedro


Um território patrimonialista e colonial encravado no coração do Rio Grande do Sul

Só vou acreditar que o Rio Grande está mudando mesmo para melhor, no sentido republicano, democrático e participativo, quando o símbolo do atraso for superado por uma gestão profissional, politizada, não-patrimonialista e pública.

O emblema do arcaísmo, na relação público-privado, no Rio Grande do Sul é a forma vertical como é administrado/apoderado o Theatro São Pedro. Há muitos anos temos uma donatária, nos moldes coloniais dos séculos 16 e 17, manejando a seu bel prazer o mais bonito espaço público e cultural do estado.

Até quando?

14 comentários:

barcelosmarcio disse...

Nossa inefável ZH e seus colunistas não se cansam de falar do "teatro de D. Eva Sopher." Ridículo. A RBS, como sempre, contribuindo para os atrasos que acometem esse garrão do Brasil.

Eugenio 13, OFS disse...

Paz e bem!

Creio que só a irmã morte
permitirá que isto ocorra.

O Tarso terá um monte de brigas
pra enfrentar no Governo do Estado.
Se nem o Olívio enfrentou esta,
não será o biaxinho
que o fará.

Jordi disse...

Como morador da Riachuelo e frequentador do TSP, só posso lamentar o projeto do tal Multipalco, um paredão de pedra escura, onde o que mais cabe é carro, que poderia estar ali ao lado do teatro ou em qualquer outro lugar, e que isolou da rua a linda pracinha interna do Arquivo Público, em uma cidade que precisa ter seu centro arejado e não amontoado de camelódromos.
Bom pra quem mora em condomínio fechado, sai de casa já dentro do carro, vai ao teatro, entra sem contato com o mundo, depois vai jantar num restaurante de shopping. O mundo é perfeito.

Anônimo disse...

Servidora nº 1 do estado, apenas ela consegue as doações vultosas que o Theatro necessita.
Deixa ela em paz, briga miuda bobagem é.
Por outro lado, o dodói de muita gente é tocar lá e não ganhar.
Será que dava para arrumar isso ?

Anônimo disse...

Muito bem lembrado. Dona Eva, punk rock pra ti ! que invadam o são pedro as ordes selvagens da renovação.

Lucas Jerzy Portela disse...

mande Tarso Genro dar uma olhada no que sempre foi, e no que é hoje, o bahianíssimo Teatro Castro Alves.


vai ajudar um tanto. Jaques Wagner não lidera a mais célere e eficiente Reforma Cultural do país assim, atôa.

nem se reelegeu com 10% a mais de votos do que em 2006 por um milagre tampouco...

Suzie disse...

Feil!

As oligarguias gaúchas são o atraso deste Estado.
O Parque de Exposições de Esteio é da FARSUL.
O Teatro São Pedro é da D.Eva e dos "amigos" do Teatro São Pedro.
Para encerrar com "chave de ouro" , o desgoverno que aí está,mais uma entrega HOJE, o IRGA. É dos arrozeiros da FEDERARROZ.
A EMATER está no prego.
A MONARQUIA gaúcha apropriou-se do patrimônio público.
Não bastou as terras que ganharam, as dívidas não pagas ao Banco do Brasil S/A, ao BANRISUL...
Quem sustenta estes presentes ofertados?
O povo gaúcho, a nação brasileira, eu, tu, nós...

Fernando disse...

Não tiro o mérito do trabalho de Eva Sopher na recuperação do Theatro São Pedro. Não tiro o mérito da construção do multipalco, que bem ou mal é um novo espaço de cultura na cidade.

Mas acho que já passou da hora do Theatro passar para o poder público, e não do poder feudal dessa senhora. Dêem uma placa para ela, façam uma bonita homenagem, e mandem a plenipotenciária do Theatro São Pedro para casa.

É hora de passar o bastão.

Anônimo disse...

mas esse portela não consegue dar um pum sem que saia 'bahia'? o cara é um umbigo só! chato demais da conta, o coitado...

Jordi disse...

Fernando, espaços culturais não se conta, se vivem. Então, é permitido achar ruim 'mais um espaço' que consumiu uma década de obras, muito dinheiro e na minha opinião, é ruim. O que tem de bom (muita coisa) poderia estar em outro lugar. É claro que acontecerão coisas boas no Multipalco, e eu mesmo devo frequentá-las, mas o que ficou sepultado atrás também é (era) um espaço cultural, centenário, e agora está embaixo do Espaço Vontobel. Poderia ter sido aberto como 'praça pública' para convivência. Acho que aí está uma questão de longo prazo, se queremos uma cidade aberta, talvez para um tempo com menos medo social, ou se queremos avançar na segregação.

Anônimo disse...

gostei do comentário do Portela. Mau humor seu, anônimo das 10h00.

Anônimo disse...

Você pode acusar a gestão do São Pedro de qualquer coisa, menos de arcaica. Pelo contrário, é o único espaço cultural do Estado profissionalimente conduzido, atualmente. Basta lembrar do amadorismo de gestão que impera em espaços como CCMQ e Memorial do RS.

Anônimo disse...

Olhem para a TVE plis, aquilo sim precisa de um banho de agua de cheiro.

Anônimo disse...

As pessoas que criticam a gestão de D.Eva Sopher desconhecem totalmente da realidade que o TSP enfrenta, atualmente o Estado não fornece um centavo para a manutenção desta casa os funcionarios de Limpeza, Tecnica, Receptivo etc todos são mantidos pelos "amigos" do TSP, O Projeto Multipalco não será apenas um estacionamento e uma concha acustica será um fantástico centro cultural que foi idealizada pela inovadora e não arcaica Eva Sopher que ajudará a manter de pé em funcionamento a casa Centenaria que poderia não mais existir antes da D.Eva assumir. Criticas são faceis de fazer, agir é beem mais difícil

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo