Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Yedão, o déficit zero e a ponte que caiu


Governo estadual deve ser duramente responsabilizado

A governadora Yedão tão logo soube da ponte que caiu foi correndo para Agudo, local do desastre que engoliu a vida de mais de vinte pessoas, em segundos.

Foi para quê? Para nada!

Disse que estava "trazendo solidariedade" às vítimas. Ora, solidariedade em abstrato quem presta são os indivíduos, as pessoas físicas. A autoridade pública - a governante - tem o dever de levar muito mais que a piedade flou. A governadora procede como o vendedor de fumaça engarrafada. Garrafa bonita, em cristal de qualidade, mas o que há dentro? Fumaça! Fumaça! Fumaça!

Yedão segue na agenda de aparências, uma canastrona na comédia que armou e representa, mas que o destino se encarrega de transformar em tragédia. Na raiz da presente tragédia de Agudo está o déficit zero (a comédia), a mais completa paralisia e anomia administrativa em nome do cumprimento de uma quimera contábil, um capricho inútil e perigoso, um cálculo neoliberal perverso.

Yedão precisa ser responsabilizada pela presente tragédia. À oposição cabe, mais do que nunca, cobrar-lhe as seguintes questões básicas em qualquer tragédia com morte na via pública:

1) O conteúdo da vistorias periódicas e os respectivos laudos de avaliação estrutural da ponte sinistrada;

2) Providências do Daer - órgão estadual responsável pelas rodovias estaduais - face às exigências dos laudos técnicos;

A governadora em entrevista ao jornal Correio do Povo de hoje disse que "é preciso que todos trabalhem para que tenhamos um relatório de prejuízos e danos [não fala das vítimas!], a fim de que o governo estadual e a União [cumprimentando com o chapéu alheio!] possam disponibilizar recursos o mais rápido possível" (CP, 6/1/10, p. 18).

Notem que Yedão já está tirando o corpanzil fora. O relatório que ela menciona é sobre prejuízos e danos materiais, esquece as dezenas de vítimas, e também esquece as responsabilidades do seu governo sobre as vistorias/reparos na ponte que ruiu.

Para ela, foi apenas um desastre natural, para o qual é preciso se conformar passivamente e tratar de conseguir dinheiro com a União, já que o Estado precisa manter a contabilidade do déficit zero e não pode ficar gastando com ponte que caiu.

14 comentários:

Anônimo disse...

Caro Cristóvão,

Cuidado, segundo a mídia (amestrada) a hora é para solidariedade e ajuda do Governo Federal, não de tirar proveito político, visando no dizer de certo áulico travestido de jornalista (deformador de opinião): "...pegar alguns votinhos aqui e acolá." Enquanto isso, as responsabilidades da desgovernadora diluem-se como se por uma enchente fossem levadas.
Abraços,
José Luís

Anônimo disse...

O Serra fez a mesma coisa:
1-Saiu do resort em Trancoso(BA),convenientemente em um Domingo,para vistoriar as enchentes em SP.
2-Apareceu de colete salva-vidas para os jornais,deu declarações pro Fantástico,fez cara de preocupado.
3-Não adotou atitudes práticas de governo em relação a tragédia.
4-Voltou pro Resort em Trancoso pra curtir o resto das férias.
É o procedimento padrão Tucano.

César S. disse...

Um leitor do Nassif documentou o descaso com a RSC-287.

Milton Ribeiro disse...

Todo político faz isso a fim de demonstrar preocupação. A diferença é que Yeda, a diferença é que Yeda... vai tirar o corpanzil fora, pra variar.

Milton Ribeiro disse...

NÃO APROVE ESTE COMENTÁRIO!

Acho que "atriz canastrona" é redundância. Ela não seria apenas canastrona?

Faço este tipo de correção porque não me importo de ser corrigido e acho que a gente fala tanto que é impossível não deixarmos babas aqui e ali.

Abraço.

Cristóvão Feil disse...

Milton,

Já retirei o "atriz".
Tua observação é corretíssima.
Não tenho o menor problema com essas coisas. Ao contrário, fico feliz que as pessoas prestam a atenção (crítica) ao que a gente comete.

Abç.

CF

Balin disse...

Segundo o maior insider gaúcho flagrado entregando o jogo, nosso querido Busatto, o DAER alimentou o PP durante muito tempo, PP é do DAER e o DAER é do PP.
O PP é a base aliada junto com a Yeda, então esse pessoal, gente como Valdir Andres, Celso Bernardi, Jeônimo Goergen, Leila Fetter, Mano Changes, Frederico Antunes (o agroboy do cabelo lambido), Francisco Appio devem nos explicar porque eles acham que uma obra de arte deve ficar de pé sem manutenção até que o rio a leve.
Será que isso é a filosofia da ponte descartável, a ponte mac-donalds ou tem algum fundamento científico fazer manutenção zero.

César S. disse...

Balin,

obrigado por nos lembrar disto. Se o PP é o DAER, e o DAER é o PP, então tudo fica mais claro.

Dun-dun disse...

É sério.
Temos um partido sustentado com dízimo de deputados, CCs e militantes lutando contra 5 ou seis partidos alimentados a caixa dois, direcionamento de licitações e nomeações de parentes.
Tanto o nosso dinheiro não chega para a batalha, como o do Estado falta para investimentos.
Temos de explicitar isso para as pessoas: partido é verba dos militantes feito esse que fizemos 30 anos atrás.
Já o caixa dois deles produz pontes esquecidas que a correnteza arrasta.

j maurer disse...

É isso aí,Dun-dun, verba e trabalho.

Anônimo disse...

Pelas manchetes dos jornais, até parece que a ponte é do município de Agudo. A ponte é parte da estrada estadual rs 287 que liga Poa a Santa Maria. Imagine se o acidente fosse numa estrada federal!

Anônimo disse...

Pois,eu acho que é dever estar presente sim,nem que seja pra prestar solidariedade e dizer que sabe o que está acontecendo. Se ela não fosse também seria criticada e aí com razão. Crítica por critica cai no descrédito,acaba dando na cara que é politicagem,afasta voto até. Quando o Olívio ganhou era dabate de projetoXprojeto,ideologiaXdinheiro|:
O deus nosso de cada dia. Ficar nesse fundamentalismo hoje em dia não cola,não aqui.O tarso está com medo de perder e eu entendo,levando pra esse lado a campanha começa mal. Se não perde pra um perde pra outro e se o PSDB deixar a Yeda concorrer acho que pode ser pra ela. Se fugir da raia,como o tarso fez o Olívio fazer daquela vez,perde pro pior de todos.

Anônimo disse...

Recomendo olharem uma entrevista da atriz( de baixa categoria) e a canastrona flanado para a ZH sobre a ponte.

A demência é total!

A que ponto chega este jornaLIXO. a QUE PONTO DESABOU A VERGONHA DESTA GENTE!

Claudio Dode

Milton Ribeiro disse...

Legal, Cristóvão.

Abraço.

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo