Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

País prepara uma bomba-relógio de curto prazo


2009 foi campeão na venda de veículos automotores

A venda de veículos no Brasil em 2009 foi a maior da história. Balanço divulgado na tarde de ontem pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostrou que 3,14 milhões de veículos foram licenciados em 2009, um desempenho 11,4% maior que em 2008.

“Houve uma recuperação, uma superação daquilo que tivemos no final de 2008, muito influenciada por medidas específicas de estímulo ao retorno do crédito, à diminuição do IPI que foi um fator fundamental porque, de certa forma, além do efeito de diminuição de preços teve também um componente emocional importante porque chamou o consumidor para a loja e também com a própria recuperação da economia brasileira”, ressaltou o presidente da Anfavea Jackson Schneider.

A produção da indústria automobilística nacional, no entanto, apresentou queda de 1% em comparação a 2008. Em 2009, segundo a Anfavea, foram produzidos 3,18 milhões de unidades. A queda, de acordo com Schneider, foi pouco representativa e “não tem efeito econômico”. Já para 2010, a previsão do setor é de crescimento de 8%, com a produção de 3,4 milhões de unidades. A informação é da Agência Brasil.

..........................

Estamos preparando uma bomba-relógio automotiva a cada ano.

O Brasil registra 420 mil acidentes de trânsito por ano, que representam gastos anuais de cerca de R$ 30 bilhões (cerca de 14 bilhões de dólares) com o tratamento das vítimas. Cada ferido custa aos cofres públicos em torno de R$ 40 mil. De acordo com dados divulgados pelo Departamento de Trânsito (Detran) do Rio de Janeiro, por ano, os acidentes de trânsito no País causam 40 mil mortes, deixam 380 mil pessoas feridas e 240 mil com algum tipo de deficiência. Uma verdadeira guerra civil branca.

Em 2009, as exportações do setor automobilístico foram de US$ 8,3 bilhões, um decréscimo de 40,5% em comparação a 2008, quando as venda externas representaram US$ 13,9 bilhões.

Vejam que há uma certa equivalência: o que se gasta no Brasil para tratar as vítimas do automóvel empata com o que o País fatura com as exportações de veículos, tratamento das vítimas 14 bilhões de dólares, exportações de carros 13,9 bilhões de dólares. Um contabilidade perversa e burra. Irracional.

O Brasil não tem um plano nacional de urbanização, não tem um plano viário das zonas metropolitanas, não tem um plano habitacional integrado que contemple as questões urbanísticas, ambientais e de transporte coletivo urbano. Não tem nada disso. No entanto, estimula com incentivos fiscais (tanto o fabricante quanto o consumidor) o consumo e uso irresponsável do automóvel como meio de transporte de massa.

As grandes cidades brasileiras estão dando mostras de colapso, seja no permanente entupimento do trânsito, seja na ocupação desordenada do solo urbano combinado com a disputa selvagem promovida pela especulação imobiliária horizontal.

O lulismo de resultados, em especial a sua candidata Dilma Rousseff, tem obrigação cívica de oferecer projetos que encaminhem o planejamento estratégico dessas grandes questões nacionais. O debate eleitoral de 2010 já está aberto.

A bomba-relógio urbana (automóvel, ausência de política nacional de urbanismo, especulação imobiliária, etc.) está armada e todos nós já escutamos nitidamente o seu tic-tac nervoso.

Quem irá desarmá-la?

16 comentários:

Udo disse...

Dilma tá devendo essa.

Anônimo disse...

ela não vai esquecer

Anônimo disse...

Muito bom, Feil. O uso de automóvel tem piorado a vida em nossas cidades. O governo federal, apesar disso, lascou esse incentivo fiscal. Quando assumiu, uma das falas do Lula foi: "Meu sonho é que todo o brasileiro tenha um carro zero na garagem e uma casinha". Nessas palavras. Vamos e venhamos, uma estupidez e tanto. O espaço ocupado pelo automóvel em Porto Alegre (e no Brasil) é indecente. É urgente pautarmos essa discussão. (Jeferson)

Suzie disse...

Pergunto a vocês?
Cadê a melhoria do transporte coletivo em Porto Alegre?
Parou faz 5 anos!
Que tal uma análise?
Sou usuária por opção, do transporte coletivo, tenho sofrido...
Assim não dá!
Quem depende de horário, deslocamentos diversos,rotas diferentes, tem mais é que ter carro!

Anônimo disse...

Isso quem tem de amadurecer e resolver é o povo.
Dilma só vai precisar surfar no PAC-2, PAC-3 de construção de metrôs e ciclovias.
Mas isso quando chegar a hora em que a questão amadureça.
Por hora, vamos trocar de carro e tirar o atraso.

Anônimo disse...

A porcentagem de imposto no preço final do automóvel, que é de quase 50% do total, compensa em muito os gastos da saúde pública com os acidentados. Resumindo, o consumidor de automóvel, assim como o consumidor de cigarro e alcool, paga imposto mais do que suficiente para cobrir o preju que ele dará na saúde pública. No entanto, concordo com o blogueiro integralmente que a atual política de incentivo a venda de carros é de uma burrice incrivel. Não tanto pelo custo com os acidentados, mas pela poluição e pelo caos urbano que vemos. Enquanto isso, transporte urbano coletivo de qualidade (leia-se trens), nem pensar.

claudia cardoso disse...

Muito boa postagem, Feil!

Em determinados horários, já necessito sair de casa com 1 h de antecedência, em trajetos que, no máximo, levariam 40 min. E isso que ando apenas de transporte público!

Mais, os municípios tb precisam ter projeto que dê conta do transporte coletivo de qualidade. Quanto mais não seja, obrigar a ampliação de circulação de ônibus nos horários de pico. Por que uma empresa de ônibus irá deslocar 2 carros, se ela pode levar 80 pessoas esmagadas dentro de 1? Isso é um absurdo, é um desrespeito, uma vergonhosa "aliança" público-privada, agravada pela apatia do usuário que se submete a tal circunstância.

Alice Mann disse...

Quando os governos locais e estaduais não caminham juntos com o governo federal, que é o caso do RS e SP, constatamos o caos e a estagnação nesses espaços urbano.
É necessário uma sinergia nas Políticas Públicas. O PSDB e seus aliados só querem fazer caixa e apresentar deficit zero e muito desvio de dinheiro público. Isso a mídia livre e democrática não informa para a população.

Anônimo disse...

Fugindo do tópico: teremos futebol feminino sub-20, um torneio "Yeda Crusius", internacional e em Alegrete.
Legal, né ?
Chance de ter alguma trampa nisso daí?

valeriobrl disse...

Obrigado pelo post, concordo PLENAMENTE com Você.
Sugiro:
1)Mais impostos pela compras de automóveis (proporcionado com o VALOR do carro)
2)Seguro obrigatorio mais alto (proporcionado com o VALOR do carro)
3)Preços elevado do estacionamento públicos
4) mais estacionamento foras da cidades junto com uma melhor oferta de transporte publico
Resultado :
-administração publica arrecada mais dineiro
-vamos a decencentivar o utlizo de transporte particular, melhorando o transporte publico
Carros è uma desperdicio INUTIL de patrimônio-dinheiro, polluente e SUPER perigoso.

WannaRideMyByke disse...

O povo mesmo vai desarmar essa bomba.
Olha aqui como:
http://www.youtube.com/watch?v=y4k1hfmcNBg
O carro é para viajar no final de semana, para o rancho mensal, para deslocamentos curtos de até 8 km, carregar uma criança e uma sacola, mesmo sob chuva ou com rampas, é bicicleta.
E isso vindo de um cinquentão.
O que é mais caro: pagar viaduto e asfalto para os carros arruinarem em 2 anos ou pagar um asfalto que vai durar 30 anos com as bicicletas em uma ciclovia ?
Agora: órgãos públicos, TJ, AL, TRE, quartéis, TCE, empresas com mais de 30 funcionários, todos esses estabelecimentos precisam dispor de bicicletários.

ducana disse...

O que eu faço com o meu automóvel? Como mudar essa cultura de ter carro antes da casa própria, muitas vezes? Eu não tenho casa e tenho carro, por exemplo. Aqui no interior não tem ônibus toda hora e para todo o lado, então uso o carro. Nas capitais, preferem enfrentar engarrafamento do que ônibus lotados, como mudar esse hábito? Acabaram com os bondes, trólebus, trens cobrem poucas zonas e cidades. Alias, propaganda e mais propaganda para o consumo, para a política do automóvel próprio. O país desenvolveu-se em cima da industria automobilistica. Realmente, estamos entupindo as cidades de carros, mais um pepino para o Lula, para a Dilma. Prefeitos, governadores são cartas fora do baralho e o povo com sua cultura consumista de só satisfazer-se se consumir também, a salvação realmente recai sobre o governo federal. Que proposta científica temos para o assunto, quais universidades discutem a problemática. Essa bomba relógio só será desmontada com todos os governos juntos, mais a comunidade pensante, a intelectualidade, nas universidades, nas escolas, nos sindicatos. Se a discussão ficar só na crítica dos blogs, só nos restará preparar os ouvidos para o estouro. Não é só a Dilma que está devendo essa, todos nós estamos, até o Udo... JN Canabarro.

Tche Loco disse...

O que acontece é que nos EUA por exemplo, se tem capital de giro, ou seja, o dinheiro nunca para.
No Brasil se tem giro de crédito, o que é pior ainda, pois trata-se de um dinheiro que nao se tem.

J. Pinto Durão disse...

Cristóvão,
É pra gente ficar preocupado, mesmo!
Gostei de visitar o teu espaço virtual, irei voltar mais vezes.
visita o nosso blog:
www.militanciaviva.blogspot.com

Anônimo disse...

DENÚNCIA.

O bog O CANAL TV está discriminando descaradamente dos recordistas.

Lá todo mundo pode ofender a Record e os ecordistas que defendem a Record, mas, os recordistas tem que ficar calados e aceitar todo tipo de insulto e humilhãção, senão eles bloqueiam o IP.

Eles fazem isto com todos os recordista que não abaixam a cabeça pra globo e sbt, a começar pelos postadores. Tratam a Record e os Recordistas como lixo, ofendem, humilham, debocham e se você perde a paciencia e começa a xingar, eles te bloqueiam.
Só eles podem ofender e se nos defendemos eles nos explusam e bloqueiam.

Um verdadeiro circo de horrores.

Isto não é só neste blog, A GRANDE MAIORIA dos blogs de TV fazem isto com os recordistas, pois eles lincham moralmente qualquer um que se aventure a ir contra a globo e sbt. Partem pra agressão pessoal, e excraxam as pessoas, depois bloqueiam dizendo que são loucas.

REPITO, QUASE TODOS OS BLOGS DE TV E AUDIÊNCIZ AGEM DA MESMA FORMA, PODEM ENTRAR E CONSTATAR O QUE FALO.

Um horror, uma perseguição e preconceito contra os recordistas.

Eles humilham, debocham e execram quem torce pra Record. Eu não posso fazer nada, pois não sou niguém, sou pobre e não tenho dinheiro pra pagar advogados.

http://ocanal.wordpress.com/

Anônimo disse...

O Anônimo lá em cima argumentou que os impostos pagos pelos compradores de veículos cobrem os gastos causados pela opção pelo transporte individual. Bom, nenhum estudo que li até agora - e foram muitos - afirma isso. Os analistas são unânimes em afirmar que o automóvel tem um custo social que não compensa de modo nenhum a opção pelo seu uso e incentivo, nem financeiramente, nem em qualidade de vida. Num país que não tem educação e saúde bem estruturadas, o estado pagar pra pessoas andarem de automóvel é uma barbaridade. (Jeferson)

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo