Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Zero Hora mutila crônica de Veríssimo



Buuu

Diálogo urbano, no meio de um engarrafamento. Carro a carro.

- É nisso que deu, oito anos de governo Lula. Este caos. Todo o mundo com carro, e todos os carros na rua ao mesmo tempo. Não tem mais hora de pique, agora é pique o dia inteiro. Foram criar a tal nova classe média e o resultado está aí: ninguém consegue mais se mexer. E não é só o trânsito. As lojas estão cheias. Há filas para comprar em toda parte. E vá tentar viajar de avião. Até para o exterior - tudo lotado. Um inferno. Será que não previram isto? Será que ninguém se deu conta dos efeitos que uma distribuição de renda irresponsável teria sobre a população e a economia? Que botar dinheiro na mão das pessoas só criaria esta confusão? Razão tinha quem dizia que um governo do PT seria um desastre, que era melhor emigrar. Quem pode viver em meio a uma euforia assim? E o pior: a nova classe média não sabe consumir. Não está acostumada a comprar certas coisas. Já vi gente apertando secador de cabelo e lepitopi como e fosse manga na feira. É constrangedor. E as ruas estão cheias de motoristas novatos com seu primeiro carro, com acesso ao seu primeiro acelerador e ao seu primeiro delírio de velocidade. O perigo só não é maior porque o trânsito não anda. É por isso que eu sou contra o Lula, contra o que ele e o PT fizeram com este país. Viver no Brasil ficou insuportável.

- A nova classe média nos descaracterizou?

- Exatamente. Nós não éramos assim. Nós nunca fomos assim. Lula acabou com o que tínhamos de mais nosso, que era a pirâmide social. Uma coisa antiga, sólida, estruturada...

- Buuu para o Lula, então?

- Buuu para o Lula!

- E buuu para o Fernando Henrique?

- Buuu para o... Como, "buuu para o Fernando Henrique"?!

- Não é o que estão dizendo? Que tudo que está aí começou com o Fernando Henrique? Que só o que o Lula fez foi continuar o que já tinha sido começado? Que o governo Lula foi irrelevante?

- Sim. Não. Quer dizer...

- Se você concorda que o governo Lula foi apenas o governo Fernando Henrique de barba, está dizendo que o verdadeiro culpado do caos é o Fernando Henrique.

- Claro que não. Se o responsável fosse o Fernando Henrique eu não chamaria de caos, nem seria contra.

- Por quê?


- Porque um é um e o outro é outro, e eu prefiro o outro.


- Então você não acha que Lula foi irrelevante e só continuou o que o Fernando Henrique começou, como dizem os que defendem o Fernando Henrique?


- Acho, mas...


Nesse momento o trânsito começou a andar e o diálogo acabou.

Crônica literária de Luis Fernando Veríssimo, publicada hoje no Estadão. Esta mesma crônica está publicada - com cortes - no jornal Zero Hora, edição de hoje. A parte em letras azuis (acima) foi censurada pelo jornal da RBS.

8 comentários:

ProfeGélson disse...

Parece que o Verissimo acordou!!!Aproveitei para repassar!!!

Eugenio Hansen, OFS disse...

Paz e bem!

Cinza não foi a melhor opção
para deixar claro o que foi cesurado,
tente verde, azul, vermelho, roxo etc.

Eugenio Hansen, OFS disse...

.

neusajs disse...

Isto é grave, e o que o
L.Fernando Veríssimo acha disto?

Carlos Eduardo da Maia disse...

LFV vai continuar publicando suas crônicas para ZH. Assim é a vida.

Caio Novello disse...

ZH com saudades da ditadura!

Dr. André disse...

Recebi a seguinte resposta de Zero Hora:
Prezado leitor
Zero Hora não censurou a coluna de Luiz Fernando Veríssimo. O fato de ter faltado algumas linhas foi um erro involuntário de edição, pelo qual já nos desculpamos com o autor.
Como o senhor mesmo observou, a versão completa está na Internet.
Agradecemos a sua observação e o cuidado com que acompanha ZH.

Atenciosamente
Atendimento ao leitor

claudia cardoso disse...

Erro sintomático esse...

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo