Você está entrando no Diário Gauche, um blog com as janelas abertas para o mar de incertezas do século 21.

Surf no lixo contemporâneo: a que ponto chegamos! E que mundo deixaremos de herança para Keith Richards?

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Dilma manda chamar general e pede explicações sobre "fato histórico"


Gorila quis banalizar violações aos direitos humanos durante ditadura civil-militar

As manifestações do novo chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência, general José Elito Siqueira (na foto com Dilma), criaram mal-estar ontem, no Palácio do Planalto. A presidente Dilma Rousseff chamou Elito em seu gabinete na noite de ontem para pedir explicações. A informação é da Folha.

No dia de sua posse, Elito Siqueira se posicionou contra a criação da Comissão da Verdade e disse que os desaparecidos políticos são um "fato histórico" do qual "nós não temos que nos envergonhar ou vangloriar".

Segundo o projeto enviado pelo governo, a Comissão da Verdade terá a "finalidade de examinar e esclarecer as graves violações de direitos humanos" durante a ditadura.

Durante o dia, a presidente fez chegar ao general sua insatisfação com as declarações, já que o governo Lula enviou no ano passado projeto de lei ao Congresso Nacional em apoio ao órgão.

A mídia apurou que Elito disse a Dilma que foi "mal compreendido" pelos jornalistas durante a entrevista e que as reportagens não retrataram o que ele disse.

Dilma não gostou da manifestação do general que é claramente contrária à posição de seu governo e do antecessor. Dilma era ministra da Casa Civil quando o projeto de lei da Comissão da Verdade foi formatado.

O vice-presidente Michel Temer minimizou os comentários de Elito. Questionado se não era contraditório a presidente, torturada durante a ditadura, ter como subordinado próximo um general contrário a investigações sobre episódios de tortura no regime militar, Temer disse que a pergunta deveria ser feita à própria presidente.

"Acho que é a opinião dele, né? Não vou me manifestar a respeito da opinião dele", disse o vice de Dilma.

O ministro Nelson Jobim (Defesa), sem se referir especificamente ao general, limitou-se a dizer que a posição do governo é pela criação da Comissão da Verdade, nos termos do projeto de lei enviado pelo Executivo ao Congresso em maio passado.

A nova ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, afirmou, via assessoria, que seu posicionamento sobre o assunto é público e foi exposto em seu discurso de posse, anteontem.

-------------------------

O episódio demonstra uma diferença qualitativa entre o estilo político do ex-presidente Lula - excessivamente conciliador - e a presidenta Dilma, especialmente no tema da memória histórica da ditadura civil-militar de 1964-85.

Um dos grandes passivos do governo Lula foi essa renitência em não revolver o nosso passado ditatorial e repressivo, ao contrário dos governos democráticos do Uruguai, Argentina e Chile. A situação é agravada pela escolha, por Lula, de um ministro protofascista e americanófilo como Nelson Jobim na pasta da Defesa. A manutenção de Jobim (ou JohnBin) é um dos mistérios do novo governo Dilma Rousseff. De qualquer forma, o gesto pronto e decidido da presidenta na noite de ontem é um indicativo de indisposição para com os subordinados de Jobim (ou JohnBin).

Só por isso, já valeu o meu voto em 3 de outubro último.

23 comentários:

Anônimo disse...

Tudo indica que teremos um governo digno, objetivamente focado e com responsabilidade.

Estou feliz e estou otimista.

saitica disse...

Temos na presidência da república uma presidente honrada e corajosa.
Teremos mudanças com Dilma Rousseff.Jobin não vai durar.
daniel de andrade simões

Anônimo disse...

Está ficando interessante... rs

Anônimo disse...

Está ficando interessante... rs

Nelson disse...

Que beleza! Como se o tal "fato histórico" fosse algo insípido, inodoro, que não fedeu nem cheirou e, portanto, não causou mal a ninguém, podendo ser, sem traumas e sem ressentimentos, esquecido.

Enquanto isso, muitos desses mesmos que recusam a "revolver o passado" e punir assassinos e torturadores, mesmo que dentro das normas do Estado democrático de Direito, prescrevem um tratamento bem mais duro a punguistas ou assaltantes quaisquer. Não raro, aparecem na mídia a exigirem, ensandecidos, o pescoço de criminosos comuns, "esquecendo" por completo as normas já citadas.

Anônimo disse...

salve, cristovão,

não me passa pela cabeça outra atitude senão a da presidente dilma chamar o "incoveniente" general para explicações.

que seja benvinda a disposição da comandante suprema das forças armadas, conforme o "livrinho" de nossa carta magna, em instaurar a comissão da verdade.

valeu meu voto também, meu caro.

carlos-fort-ce

joao disse...

Também valeu meu voto que está super valorizado! E estou lembrando-me de muitos amigos que desapareceram, mas, DEUS É JUSTO JUIZ !! Em algum lugar irão pagar pela covardia de matar Brasileiros verdadeiros defensores da nossa Pátria.

cao@dino disse...

queria ver o gegê mijão-ele se mijou todo quando foi chamado as falas por dilma-no pau de arara com um pé de cama enfiado no rabo, os fios da maricota enrolado no saco e com arames enfiados debaixo das suas unhas defender as torturas da "ditabranda".dilma já mostrou que não é mole não.os próximos são:jobim e a midia golpista.os canalhas fizeram gato e sapato do lula e agora vão pagar a mula roubada com a dilma......dá lhe dilma...............

zé bronquinha disse...

acontar com generais que não apoiem investigações praticadas durante a ditadura está dentro do esperado. Agora, botar um "gorilão" como Jobim pra mandar nessa gente arrogantemente doentes é pedir pra levar chumbo.

Wladimir disse...

Lula e Dilma têm histórias de vida muito diferentes. Lula é o padrão médio do brasileiro pobre e lutador. Toma porrada de tudo que é lado, é maltratado, passa o diabo pra conseguir qualquer coisa, mas esquece com facilidade, deixa pra lá, não quer se incomodar, dá um sorriso, faz uma piada e segue em frente.

Dilma foi pra luta armada, foi presa e torturada por esse bando de cachorros. Nem que quisesse poderia deixar pra lá. Não tem como esquecer isso.

Aliás, além de revisar essa época da ditadura, a Dilma poderia rever o conceito de pensões das Forças Armadas. É um absurdo o que se paga para viúvas e (posteriormente) filhas de torturadores e seus comandados.

Abraço. Wladimir

Anônimo disse...

Tens razão, Cristovão, valeu o meu voto e tambem, ter corrido de policia em 68 e esperado todo esse tempo. Um abraço,´Lú.

Anônimo disse...

Será que a Dilma apoiaria uma comissão para investigar os "tribunais de justiçamento" praticados pelos terroristas de esquerda durante a ditadura militar?

Tupamaro disse...

O curioso é que os que pedem o esquecimento das atrocidades cometidas pela ditadura civil-militar, que não querem "revolver o passado", sao os mesmos que se indignaram com a decisão de Lula de não extraditar o "terrorista" Battisti para itália(enquanto for governada por berlusconi é com i minúsculo mesmo), para o governo protofascista do filho da puta berlusconi "suicidá-lo" em suas masmorras.

Bruna disse...

Gosto do conteúdo do blog. Obrigada por compartilhar estas informações. Abs

Sbentenar disse...

Anônimo das 15:07 : Terrorista foi o estado implantado pelos protofascistas em 1964. Quanto a atitude da Presidente Dilma em convocar o General, ficou a dever. Pelo significado das palavras, a demissão era a condição pertinente. Lamentável!! Começou mal !!

Anônimo disse...

Acho que o anônimo das 15:07 e outros nazistas como ele tem razão nesse caso.Eu já sou favoravel a formação de milicias clandestinas(comando de caçã aos nazistas fdp) para caçar, esfolar e dar sumiço nos torturadores covardes que estão por aí ainda sendo sustentados pelo povo e os bundões que os apóiam (sem mostrar a cara evidentemente)como o anônimo das 15:07.Aliás para que servem as "forças armadas" no Brasil? Milhares de vagabundos sendo sustentados pelos trabalhadores.
Ióssiff Estalino da Silva-Odessa-RS

Anônimo disse...

Os passaportes diplomáticos entregues a dois filhos de Lula, um dia antes dele sair do governo, são ética, moral e legalmente inexplicáveis.

. Lula não consegue desencarnar da presidência.



anônimo das 15:07

Anônimo disse...

Quando é que será que vai se exigir das FFAA, como instituição, que se dessolidarizem publicamente do Golpe de 64 e façam os velhos torturadores aposentados pagarem o pedágio de dizerem o que sabem sobre desaparecidos em troca de irem encerrar a vida em casa?

Anônimo disse...

O general Elito deu a declaração mais equilibrada sobre o tema, em todos os tempos. Ninguém deve se orgulhar de um período da história sobre o qual já houve um tratado de paz, denominado Lei da Anistia. Foi a Lei da Anistia que permitiu que uma guerrilheira que participou de grupos armados que mataram, torturaram e assaltaram para implantar o comunismo no Brasil chegasse à presidência da República. Ela, em primeiro lugar, deveria ser agradecida por isso. E enquadrar não um general patriota, mas sim o bando de vagabundos oportunistas que a cerca e vive querendo abrir a ferida para ganhar mais dinheiro do que já receberam dos cofres públicos, a título de indenizações e pensões.

Anônimo disse...

Mas de que grupo armado que matou e torturou do qual Dilma participou seu vagabundo oportunista "anonimo das 16:33"?Deves um cagão filhote general que viveu e vive aos custas do povo.É melhor tu fica bem quietinho aí o rapá. O fato comprovado é que alguns generais "patriotas" a mando do tio san derrubaram um governo democratico do "comunista" Jango,tão comunista quanto Getulio Vargas,JK,Brizola, Arraes que queriam "implantar o comunismo" no Brasil(só mesmo um débil mental para acreditar nisso).Derrubaram um governo democratico e implantaram o terror quando a opsição ja estava totalmente desarticulada a excessão uns poucos grupos armados de resistencia, que deveriam ser homenageados como aqueles que resistiram ao nazismo na europa da decada de quarenta. O covardes torturadores do Brasil viraram professores dos regimes genocidas do Chile, da Argentina(esses não tem parelo nem mesmo entre os regimes nazi-fascistas da europa por seus metodos).Mas como já disse, acredito que o novo governo deveria incentivar a criação de comandos de caça aos terroristas de estado tal como Israel fez em relação aos criminosos nazistas que haviam escapado ao final da segunda guerra. Ióssiff

Anônimo disse...

Estão querendo criar a imagem que a Dilmão tá falando grosso com os milicos, pura balela. Essa mulher quando arrostada afina e coloca o rabo entre as pernas. É apenas uma "Amélia" nas mãos do pinguço turista.

rodrigo aguiar disse...

macho mesmo deve ser o general que fala uma coisa e se aperta todo na frente de Dilma, horas depois. e o sujeito que não tem sequer coragem de assinar o que escreve. nunca a presidenta que lutou por uma causa justa e por isso ficou anos presa e foi torturada.
mas o bom, meu caro anônimo, covarde, é que Dilma venceu a eleição, e, enfim, ao menos por 4 anos, teu choro é livre. mas seria bem mais valioso ver um comentário como o seu assinado. mas deve ser pedir demais, não?

Anônimo disse...

Bingo, Feil. Valeu mesmo o voto, no turno e returno, mas é preciso avançar, pois estamos léguas históricas atrás de los hermanos da Argentina.

armando do prado

Contato com o blog Diário Gauche:

cfeil@ymail.com

Arquivo do Diário Gauche

Perfil do blogueiro:

Porto Alegre, RS, Brazil
Sociólogo